SpiritBlog




Pedi e Recebereis

outubro 7th, 2011

Por Leslie Temple-Thurston e Brad Laughlin

doorwayÉ verdadeiro dizer que criamos nossa própria realidade e que o Universo nos dará exatamente o que pedirmos. No entanto, existe uma grande advertência: só podemos manifestar a partir do nível de clareza que temos. As manifestações podem sair dos trilhos e estar repletas de armadilhas se brotarem das limitações do ego, como egoísmo e ganância. Assim, o que manifestamos vem para nos ensinar sobre nossas limitações.

Conhecemos um pai solteiro que passava pelo que se pode chamar de uma crise de meia-idade, à medida que seu aniversário de 40 anos se aproximava. Ele queria manifestar um Porsche como um presente para si mesmo. Seus amigos e família perceberam que se tratava de uma compensação por um sentimento profundo de inadequação e menos valia, e que tal manifestação era fruto de arrogância e egoísmo.

Na manhã de seu aniversário, ele pegou seu caríssimo Porsche prata. Seus dois filhos pequenos, que o adoravam, queriam passar a noite com o pai e preparar-lhe um jantar. Ele preferiu sair com os amigos, que tinham planejado uma festa surpresa para aquela noite.

Depois da festa, ele e os amigos decidiram ir a uma boate. No entanto, ninguém queria ir com ele de carro por causa de sua atitude. Todos saíram da festa antes dele. Ao sair da via de acesso da casa do amigo, ele calculou mal o ângulo e bateu fortemente contra a mureta paralela ao caminho, arranhando o carro novo, que ficou bem danificado. Para completar, um pneu furou e ele teve que deixar o carro estacionado em frente à casa do amigo, caminhar de volta para casa e passar a noite sozinho. Durante muitos dias, ele se sentiu embaraçado, deprimido e não conseguia olhar o humor da situação. Seus filhos, no entanto, estavam se divertindo e até mesmo contentes. Ele não ficou com o carro por muito tempo, possivelmente por ser um lembrete constante da lição dolorosa de manifestar algo a partir do ego.

O popular livro (e filme), ‘O Segredo’, revela um dos aspectos importantes dessa lei, que é a “lei da atração”. É verdade que trazemos para nossa vida o que pensamos e sentimos fortemente. Em outras palavras, “os pensamentos se materializam”. No entanto, assim como olhar pelo famoso buraco da fechadura para ver o que está acontecendo além, essa é apenas uma mera fração do quadro maior. O segredo real atrás de ‘O Segredo’ é que sem um auto-exame mais profundo de nossos verdadeiros desejos, medos e motivações, manifestamos a partir de extrema limitação.

Este é um obstáculo doloroso no caminho da autodescoberta e pode ser até mesmo perigoso. Especialmente para pessoas que estão em um caminho espiritual consciente e que desejam ajudar o planeta neste momento crucial da evolução humana, manifestar sem o nível de clareza e pureza que o autoquestionamento traz é um desvio traiçoeiro.

Manifestar algo a partir do egoísmo e chamar isso de ‘espiritual’ significa a santificação da ganância. A urgência de nossa situação global exige mais de nós agora. É tempo de pararmos de manifestar olhando pelo buraco da fechadura do ego limitado. É preciso escancarar a porta do self inconsciente, oculto, para que a luz ilumine as sombras do porão e revele a câmara do tesouro luminoso da verdadeira abundância que nos aguarda.

Um corolário da lei “Pedi e Recebereis” é que ganharemos muito mais se pedirmos por qualidades do coração e da alma, pois elas desenvolvem um calibre mais elevado de caráter, ao invés de simplesmente pedir por coisas materiais. Por exemplo, peça por qualidades como integridade, discernimento, equilíbrio, clareza, mais energia e luz, generosidade, a sabedoria de servir a Terra da forma mais elevada, a capacidade de amar mais e assim por diante. A partir dessas características iluminadas, fazemos escolhas melhores em relação ao que manifestamos.

Uma das maneiras de evitar a manifestação de algo a partir do ego é praticar a manifestação altruísta, ao invés de egoísta. Temos o poder de mudar o resultado de crises como o aquecimento global, a extinção das espécies, o terrorismo, guerras etc. Quando pedimos algo valioso para a Terra ou para alguém, isso é muito mais potente do que solicitar coisas materiais para nós mesmos.

Não há nada de errado em pedir coisas materiais para nós, mas primeiramente devemos examinar nossos motivos. Eles são orientados pelo egoísmo? São apropriados para o momento atual? É realmente algo de que precisamos? Para as pessoas conscientes e maduras, manifestar a partir do glamour, status e egoísmo é inadequado. Brincar com a manifestação, onde Deus se torna um Papai Noel que satisfaz nossos desejos, é realmente um nível bem iniciante. No paradigma do fluxo, aprendemos a pedir primeiramente pelas qualidades do coração e da alma e por aquilo que podemos dar; em retorno o Espírito olha para nossas necessidades e as satisfaz sem que precisemos pedir. Nosso serviço abre o fluxo para que nossas necessidades sejam atendidas com muita tranquilidade e graça.


Uma grande força espiritual exige grande responsabilidade.
—Leslie Temple-Thurston